segunda-feira, 25 de julho de 2016

De Santana (AP), um reencontro emocionante de mãe e filha em Pernambuco

Delegada se emociona ao entregar Júlia à mãe
O Aeroporto dos Guararapes, na cidade de Recife (PE) ficou pequeno para tantas pessoas que estiveram presentes, para assistir ao desembarque da pequena Júlia, de um ano de nove meses, que levada pelo próprio pai, o engenheiro Janderson Rodrigo Salgado Alencar, de 29 anos. 

O engenheiro havia ficado com a criança no final de semana do último dia 10 de julho, prometendo devolvê-la à mãe Cláudia Cavalcanti, de 42 anos, no dia seguinte, na qual a genitora residen na cidade de Olinda (PE) o que não foi cumprido, conforme acordo. 

De imediato, Cláudia comunicou às autoridades sobre o desaparecimento da criança, na qual o caso foi entregue nas mãos da delegada Gleide Ângelo, que logo iniciou uma linha de investigação, que resultou na prisão de Janderson Rodrigo, na noite do último sábado (23), que estava hospedado em um kit-net, situado na área portuária do município de Santana, distante há cerca de 20km de Macapá (AP), após levantar suspeitas durante sua estada, já que não estava acompanhado de qualquer pessoa além da criança e se manter dentro de poucas palavras durante os três dias que já estava hospedado no local. 

Pequena Júlia de volta nos braços da mãe Cláudia
Retorno à Pernambuco
Após a prisão de Janderson e recuperada a pequena Júlia, numa ação que contou com o apoio das polícias Civil dos Estado de Pernambuco e do Amapá (que estiveram acompanhando minuciosamente o recebimento da localização do engenheiro na cidade de Santana-AP), o passo seguinte seria recambiar os envolvidos para o Estado de origem. 

A delegada Gleide Ângelo (responsável pelo caso) desembarcou no Amapá na madrugada de domingo (24), onde concedeu entrevista à imprensa amapaense e acompanhou os trâmites relacionados à prisão de Janderson. 

Pai e filha desembarcaram no Aeroporto de Recife (PE) no início da tarde desta segunda-feira, sendo que a pequena Júlia foi entregue pela delegada Gleide à sua mãe Cláudia Cavalcanti, enquanto que Janderson seguiu para o Instituto Médico Legal (IML) de Recife, para efetuar exames criminais. 

Informações repassadas pela Agência Pernambuco Press

domingo, 24 de julho de 2016

De Pernambuco, Polícia Civil localiza em Santana (AP) criança levada pelo pai

Janderson levou a filha (esquerda) sem autorização materna
Foi localizada na noite deste sábado (23/07), pela Polícia Civil do Amapá, com apoio de agentes do Estado de Pernambuco, a menina Júlia Cavalcanti de Alencar, de 1 ano e 9 meses, que havia sido levada pelo pai, o engenheiro Janderson Rodrigo Salgado Alencar, de 29 anos, de seu Estado de origem (Pernambuco) desde o último dia 10 de julho. 

O engenheiro e a filha foram localizados em um kit-net localizado na área portuária do município de Santana, a 25km de Macapá (AP) por volta das 20hs desta sábado. 

Janderson não reagiu à prisão
A operação pela prisão contou com o apoio da Polícia Civil amapaense que realizou a abordagem no endereço residencial situado na área central da referida cidade. A operação, que resultou na localização da criança e prisão do genitor da mesma foi fruto de trabalho em conjunto entre as Polícias Civis de Pernambuco e do Amapá, onde esta última também contou com informações da Inteligência da PCPE. 

As delegadas da 9ª DPH da cidade de Olinda/PE, Gleide Angelo e Fabiana Leandro, que presidem as investigações, chegaram a Macapá na madrugada deste domingo (24) com o objetivo de proceder ao recambiamento do preso e trazer a criança para o Estado de Pernambuco. 

Júlia e Janderson estavam sendo procurados desde o dia 10 de julho depois que ele não devolveu a menina para a mãe como estava previsto em decisão judicial. 

Ainda não há previsão para o horário de chegada de pai e filha ao Estado de Pernambuco, pois as delegadas irão precisar de autorização judicial para viajar com a criança. 

Nota: Algumas informações foram cedidas pelo Diário de Pernambuco

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Vídeo mostra tentativa de assalto na área portuária de Santana

Dois jovens tentaram assaltar um homem identificado como policial civil, na tarde desta quinta-feira, 21/07, na Avenida Amapá, na área portuária do município de Santana. 

O homem caminhava pela via, carregando uma mochila tipo “carga” nas costas, quando foi surpreendido por dois jovens, um deles tentou roubar a vítima, mas tiveram uma surpresa: o homem portava uma arma de fogo e chegou a efetuar vários disparos atrás de um dos suspeitos, enquanto que o outro ficou parado e foi rendido pela vítima. 

Veja no vídeo, feito de forma caseira de uma dependência domiciliar, e postado na página virtual do blogueiro Iran Fróes!

quinta-feira, 21 de julho de 2016

A perda inesperada de uma Educadora

Professora foi vítima de infarto fulminante
Faleceu na madrugada desta quinta-feira (21/07), na cidade paraense de Moju – a cerca de 60km de distancia de Belém –, a professora Maria Dinalva Sacramento, que prestava serviços no quadro da educação municipal de Santana. 

Segundo informações de familiares, Dinalva teria sofrido um infarto fulminante na casa de parentes. A educadora estava de licença-prêmio, aproveitando o recesso do período das férias para visitar os familiares no Estado vizinho. A notícia foi repassada nas primeiras horas da manhã de hoje. 

Formada no curso de Mestrado em Ciência da Educação pela Universidade de Assunção (Paraguai), estava com 47 anos, era casada há quase duas décadas com o professor Maurilo Martins. 

Atuou em diversas escolas da rede estadual, como José do Patrocínio (distrito de Fazendinha) e Everaldo da Silva Vasconcelos (bairro Paraíso), prestando atualmente serviços técnico-pedagógicos no Centro de Educação Profissional Maria Salomé (no Distrito Industrial) e na Escola Municipal Padre Fúlvio, em Santana. 

“Ela foi uma pessoa muito amiga e uma excelente profissional da educação, sempre dedicado ao que fazia, deixando um legado de muito trabalho pela educação de Santana”, assim expressou o professor Rai Rosa, colega de Dinalva na Escola Municipal Padre Fúlvio. 

O corpo da professora está sendo velado na cidade de Moju (PA), onde será sepultado, a pedido da família.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Meteorologistas prevêem fortes ventanias para 03 municípios amapaenses

A Defesa Civil Estadual está em prontidão após previsão de chuvas e ventos fortes para hoje e para os próximos dias sobre todos os municípios do Estado. 

Segundo a análise meteorológica do Núcleo de Hidrometeorologia (NHMET) do IEPA, a probabilidade de chuva mais intensa, acompanhada de rajadas de ventos, é maior entre a noite desta quarta-feira (20/07), e também para quinta-feira (21) e sexta-feira (22), à noite e pela madrugada. 

As chuvas mais intensas deverão ocorrer sobre os municípios de Santana, Mazagão e Macapá, podendo ocorrer tempestade forte, acompanhada de ventanias e trovoadas. 

Vale ressaltar que a mais recente ventania de intensa proporção foi registrada na tarde do último dia 23 de junho, calculada com ventos que chegavam a quase 80km/h, deixando um rastro de destruição, envolvendo danos materiais (telhas residenciais quebradas) e vegetação (queda de árvores em vias públicas).

terça-feira, 19 de julho de 2016

Através de Decreto Federal, é definida a nova área do Porto de Santana

O presidente da República (em exercício) Michel Temer sancionou na última segunda-feira (18), um Decreto Federal, definindo os novos limites territoriais onde está situado o Porto Organizado de Santana, no Estado do Amapá. A confirmação do Decreto foi oficialmente publicada na edição 137, do Diário Oficial da União do dia seguinte (19). 

Segundo o Decreto, a “área do Porto Organizado de Santana compreenderá todas as suas instalações portuárias e de infraestrutura, além do seu aparelhamento de navegação e de armazenagem de mercadorias”, na qual estão sob o monitoramento e responsabilidade do poder público local (município). 

Ainda pelo Decreto, todos os imóveis subordinados à gestão portuária, não poderão ser mais alienados (passado ou cedido para terceiros), assim como também não estão sujeitos às condições denominadas de “usucapião” (quando o responsável lotado na área pode se tornar seu futuro proprietário definitivo do local, em razão de está residindo no local há bastante tempo). 

Revisão da Poligonal
Porém, com a nova revisão geográfica – apresentado e discutido pelo prefeito de Santana Robson Rocha, que esteve pessoalmente com o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil Maurício Quintella, no último dia 23 de junho –, a referida área (agora regulamentada pelo Governo Federal) passa a ter autonomia legal de seus posseiros, conforme garantia feita pelo ministro Quintella ao gestor santanense. 

“Essa reformulação da área geográfica do Porto Comercial de Santana favorece legalmente os moradores desses bairros que agora poderão recorrer de seus títulos de domínios, já que antes eram retidos pelo fato de estarem dentro de um limite institucional”, explicou o prefeito de Santana Robson Rocha, na época do encontro com o ministro dos Transportes. 

Com a sanção do Decreto Federal, mais de oito mil famílias, distribuídas em 05 bairros urbanos e 04 distritos suburbanos de Santana estão favorecidas com as condições de solicitarem os títulos definitivos de seus terrenos.

Nogueira é condenado a devolver mais R$ 100 mil e pagar multa de R$ 20 mil

Ex-prefeito de Santana condenado pelo TCU
Tendo como relatora a ministra Ana Arraes, o Tribunal de Contas da União (TCU)  condenou José Antônio Nogueira (PT), ex-prefeito de Santana, a recolher R$ 110 mil ao Fundo Nacional da Cultura, valor a ser atualizado monetariamente e acrescido dos juros de mora das respectivas datas até a data do pagamento. Nogueira ainda pagará multa de R$ 20 mil. 

A condenação de Nogueira veio em razão da impugnação total das despesas vinculadas ao convênio 90/2006, cujo objeto era a montagem de videoteca itinerante e de miniestúdio digital de gravação, produção e edição de som e imagem no município de Santana, no âmbito do Projeto Pontos de Cultura Materializando Sonhos. Considerado revel, Antônio Nogueira teve as contas julgadas irregulares pelos ministros do TCU. 

O ex-prefeito tem prazo de 15 dias, a contar da notificação, para comprovação, perante o Tribunal, do recolhimento das dívidas imputadas, estando autorizada a cobrança judicial das dívidas, caso não atendida a notificação; parcelas mensais consecutivas, caso venha a ser solicitado pelo responsável antes do envio do processo para cobrança judicial. Em caso de parcelamento dos valores a serem devolvidos, Nogueira será alertado de que a inadimplência de qualquer parcela acarretará vencimento antecipado do saldo devedor.