domingo, 26 de fevereiro de 2017

Operação “CarnaSantana” garante ordem e segurança na 2ª maior cidade do Amapá

O 4° Batalhão da Polícia Militar em Santana (BPM), com apoio de unidades como Batalhão Ambiental, Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do 8°BPM, está executando a “Operação “CarnaSantana”. 

O objetivo da ação é fazer o policiamento na área externa do corredor da folia de Santana, bem como a segurança e preservação da ordem pública nas quadras adjacentes por meio da distribuição do efetivo em pontos estratégicos. 

Estão sendo realizados procedimentos de abordagem a pessoas e veículos, vistorias a cerca de materiais proibidos como garrafas de vidro ou quaisquer objetos que tenham potencial risco de serem usados como arma em um eventual desentendimento entre os brincantes. 

Ao todo estão sendo empregados cerca de 120 policiais por noite durante todos os dias de folia, compreendendo desde o início das programações, por volta das 19h00min, até o término e dispersão do público. 

Divisão de Relações Públicas e Imprensa do 4° Batalhão.
DRPI - 4°BPM

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Suspeito de estupro já tinha Mandado de Prisão em aberto

Por volta das 13h40m desta sexta-feira, (24/02), uma equipe de policiais do 4º Batalhão da Polícia Militar de Santana se deslocou até a Rua Ubaldo Figueira, esquina com Avenida Brasília (bairro Nova Brasília), a fim de entender a uma ocorrência de estupro. 

Segundo informações de terceiros, o ato criminal teria ocorrido na última quarta-feira (22), envolvendo um menor de 10 anos onde, de acordo com relatos, o mesmo teria sido violentado sexualmente, conforme imagens que foram gravadas em circuitos de segurança (câmeras) de estabelecimentos comerciais, que registraram o percurso feito pelo suspeito, que levava o menor no varão de uma bicicleta. 

Com o recebimento da denúncia e a realização de um exame médico no menor - que confirmou a violação carnal – foi realizada assim a busca imediata atrás do suspeito. 

Câmeras haviam filmado o suspeito com o menor
Sendo assim, chegando no local indicado, a PM verificou que o envolvido poderia não ter qualquer ligação com o suposto estupro, demonstrando uma provável inocência do interrogado. 

Porém, como parte do procedimento de abordagem, foi consultado o nome do acusado Rubens Castro dos Santos, de 35 anos, junto ao Banco Nacional de Mandados de Prisão, por meio da qual confirmou-se que havia um mandado de prisão em seu desfavor, e apenas aguardava cumprimento. 

Diante dos fatos, a equipe da PM deu voz de prisão ao abordado e o conduziu até a 1ª Delegacia de Polícia de Santana, localizada no Igarapé da Fortaleza, para as providências cabíveis. 

4º Batalhão da Polícia Militar de Santana 
Divisão de Relações Públicas e Imprensa

Chegando do trabalho, homem é esfaqueado em via pública e morre

Leni era casado e pai de três filhos
O desespero e a angustia tomaram conta do necrotério do Hospital Estadual de Santana na tarde desta sexta-feira (24/02), onde familiares e amigos do pedreiro Leni dos Santos Sardinha, de 52 anos, tentavam entender ao certo os motivos de um menor ter esfaqueado este trabalhador. 

O crime ocorreu na tarde de hoje (24), numa área de ponte localizada na Avenida Padre Vitóro Galliani, no bairro Nova Brasília. Segundo parentes do pedreiro, Leni vinha chegando do serviço, quando foi surpreendido por um menor de prenome “Ramonzinho”. 

“Ele vinha falando no celular com o chefe dele, quando esse menor pulou de surpresa sobre ele, metendo a faca na altura do seu pescoço”, contou Socorro Silva, cunhada da vítima. 

Motivo: Possível Rixa
Segundo os familiares, Leni era um homem dedicado e trabalhador. Casado, era pai de três filhos e não tolerava desrespeitos e intolerâncias que viessem a causar danos à sua família e até para a sociedade. Razões pelas quais podem ter motivado ao crime. 

Familiares estão revoltados com o crime
“Ele morava nas imediações de uma área onde havia muitos jovens (em sua maioria menores) e vez por outra chamava a atenção desses meninos que usavam drogas no local, justamente por que passavam várias crianças nesse local. O menor que meteu a faca nele era um desses”, explicou Socorro, que não conseguia conter as lágrimas diante a imagem que via no necrotério do Hospital de Santana. 

“Um pai querido e muito dedicado que não tinha quem reclamasse dele. Pelo contrário, sempre se mostrou presente e disposto para todos nós que infelizmente perdemos”, lamentou. 

Agentes do 4º Batalhão da Polícia Militar em Santana estão fazendo várias diligências pela cidade, com o intuito de encontrar o assassino, mas até o final da publicação dessa postagem, nenhuma informação confirmou sua prisão.

Caso Zamin: Ministério Público do Amapá debate situação em Brasília (DF)

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) participou na última quarta-feira (22/02), de audiência na Embaixada Britânica no Brasil, em Brasília-DF, e da Assembleia dos Credores na Recuperação Judicial da mineradora Zamin, em São Paulo-SP, as ações coordenadas tiveram objetivo de tratar sobre as consequências da exploração de minério de ferro no Amapá por empresas britânicas e contaram com a participação de Senadores da República, procuradores do Estado, representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AP) e o prefeito do município de Serra do Navio. 

Em Brasília, o embaixador do Reino Unido, Wasmim Mir, recebeu a comitiva amapaense composta pelo procurador-geral de Justiça, Roberto Alvares; a coordenadora do Meio Ambiente do MP-AP, promotora de Justiça Ivana Cei; os promotores de Justiça Marcelo Moreira, Adilson Garcia e Wueber Penafort; os senadores Randolfe Rodrigues (REDE-AP) e Davi Alcolumbre (DEM-AP); o prefeito de Serra do Navio, Elson Belo; o procurador do Estado, Luis Starling; e o representante da OAB/AP, Galliano Cei. 

Os senadores explicaram que as atividades irresponsáveis das empresas Anglo Ferrous e Zamin Mineração provocaram danos irreparáveis ao povo, à economia e ao meio-ambiente do Estado e pediram a intervenção da Embaixada Britânica na busca da solução dos problemas provocados pelas mineradoras. 

A empresa paralisou a exploração do minério de ferro da mina de Pedra Branca do Amapari em abril de 2014, cinco meses após assumir sua operação, alegando ‘esgotamento da capacidade de estoque’. Deixou mais de dois mil trabalhadores desempregados e sem receber os direitos trabalhistas, empresas prestadoras de serviços sem pagamento, além de deixar uma ferrovia sucateada e o Porto de Santana, principal do Estado, inutilizado após um grave acidente, em 2013. 

Uma Ação Cautelar Incidental contra a Zamin Amapá Mineração S/A foi ajuizada pelo MP-AP por conta da poluição causada pela empresa quando se instalou nos municípios de Serra do Navio e Pedra Branca do Amapari (Leia mais). 

As Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Macapá e Santana, por meio de seus titulares promotores de Justiça Marcelo Moreira e Adilson Garcia, respectivamente, a coordenadora do Meio Ambiente do MP-AP, promotora de Justiça Ivana Cei, bem como os promotores de Justiça Wueber Penafort e Rodrigo Celestino, titulares das Promotorias de Justiça de Porto Grande e Serra do Navio, respectivamente, acompanham as atividades da empresa, desde 2013, quando a Anglo Ferrous repassou os ativos para a Zamin, buscando reverter os prejuízos causados ao patrimônio público e ao meio ambiente, bem como aos trabalhadores e empresários locais. 

Em 2016, o MP-AP, Ministério Público Federal (MPF/AP) e Ministério Público do Trabalho (MPT) propuseram a Anglo Ferrous a formalização de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para reparar os gravíssimos danos causados, como por exemplo: o desabamento do Porto de Santana com vítimas fatais, assim como os prejuízos sociais, econômicos pelo não recolhimento de impostos, além dos danos ambientais, tendo sido rejeitado pela mineradora (Leia mais). 

Roberto Alvares destacou a atuação dos membros do MP-AP, em busca da reparação aos prejuízos causados ao Estado. 

“Viemos nesta comitiva acompanhado dos titulares das Promotorias de Justiça que atuam diretamente nessa questão em busca dos direitos do povo amapaense e, aqui ressalto a atuação e iniciativa dos senadores Randolfe Rodrigues e Davi Alcolumbre, líder da bancada Federal do Amapá, em provocar a Embaixada Britânica para intervir na causa”, declarou o PGJ. 

O embaixador afirmou ter entendido a gravidade do assunto, ressaltando o quanto a situação “É difícil para o Amapá”. Wasmim Mir assumiu o compromisso de entrar em contato com os representantes das empresas britânicas e com o representante da sede do escritório de Relações Exteriores da Grã-Bretanha para buscar soluções. (Com informações da Assessoria de Comunicação senador Randolfe Rodrigues). 

Recuperação Judicial da Zamin
Nesta quarta-feira (22), o Ministério Público do Amapá (MP-AP) e a Procuradoria-Geral do Estado do Amapá participaram da Assembleia dos Credores na Recuperação Judicial da Zamin, realizada no Centro de Convenções do Hotel Jaraguá, em São Paulo-SP, com participação dos principais credores da mineradora. 

Participaram do ato, o promotor de Justiça Rodrigo Celestino, titular da Promotoria de Justiça de Serra do Navio; o procurador-geral do Estado, Narson Galeno; o subprocurador do Estado, Juliano Avelar; e o procurador Davi Evangelista, da Representação do Governo do Amapá. 

O representante do MP-AP informou que o Judiciário de São Paulo-SP, onde está a sede dos principais credores da Zamin, nomeou um Administrador Judicial para conduzir o processo de Recuperação Judicial da empresa que não consegue honrar com o pagamento de suas dívidas, necessário antes de decretação de falência. 

“Está sendo discutida a retomada das atividades ou decretação de falência da Zamin, decisões que impactam enormemente a economia dos municípios de Serra do Navio e Pedra Branca do Amapari”, ressaltou Rodrigo Celestino. 

Segundo o promotor de Justiça, a Assembleia foi suspensa após intervenção do representante da empresa inglesa “Hedge Found Pilar Stone Metals” que manifestou interesse em investir na Zamin. 

“O investidor inglês declarou o desejo de aportar recursos para a retomada das atividades, ficando estabelecido o prazo de 30 dias para apresentação do Plano de Recuperação aos credores, em nova Assembleia a ser agendada”, informou o membro do MP-AP.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Santana terá iluminação pública com lâmpadas de LED

LED: Novo modelo de luminárias é apresentado
Na manhã desta quinta-feira (23/02),  representantes do governo e das prefeituras do Estado, dentre estes o prefeito de Santana, Ofirney Sadala, participaram de uma reunião no Palácio do Setentrião com a Empresa TELLUSMATER, de Portugal, para tratarem do Projeto de Iluminação Pública com Lâmpadas de LED. 

A proposta apresenta um sistema de iluminação pública inteligente que reduz custos financeiros e o consumo de energia. Atualmente, a TELLUSMATER está instalada em três estados do Brasil: Minas Gerais, Pará, São Paulo e agora, pretende expandir suas atividades ao Amapá, que já aderiu a parceria. 

Durante a reunião, o Presidente Executivo da empresa no Brasil, Alexandre Tereso, fez a demonstração do funcionamento das lâmpadas, detalhando suas vantagens e qualidades e apontando, principalmente, o diferencial das lâmpadas de LED para as incandescentes.

Enquanto uma lâmpada incandescente, por exemplo, gasta certa de 60 W para produzir uma determinada quantia de lúmem, um conjunto de LED precisa de apenas 20 W. Outra grande vantagem das lâmpadas de LED é que elas são muito mais resistentes do que as incandescentes e fluorescentes. 

Prefeito de Santana Ofirney Sadala (no meio)
Portanto, a substituição do sistema de iluminação atual por outro mais eficiente com lâmpadas de LED vai trazer economia para os municípios, além de garantir mais qualidade.

O prefeito de Santana, Ofirney Sadala, sinalizou positivamente para a celebração do acordo com a empresa. 

“Esse projeto é viável e necessário, até porque estamos em vias de repassar para uma empresa especializada o sistema de iluminação publica de Santana, haja vista que a CEA- Companhia de Eletricidade do Amapá, já transferiu essa responsabilidade para o município”, disse Ofirney Sadala.

Sadala anunciou que durante a quadra carnavalesca seis luminárias de LED serão instaladas no Corredor da Folia.

SENAI-AP oferta cursos gratuitos de Aprendizagem Industrial para Macapá e Santana

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do Amapá vai realizar inscrições para os cursos da modalidade Aprendizagem Industrial nos dias 23 e 24 de fevereiro. 

No total, são 228 vagas ofertadas gratuitamente para a comunidade, em diversas áreas de atuação. Para cursar uma das oportunidades, os interessados deverão ser aprovados em processo seletivo. Há opções de cursos para Macapá e Santana. 

Os cursos Assistente Administrativo, Administrador de Redes de Computadores, Operador de Computador, Eletricista Industrial, Mecânico de Automóveis Leves, Construtor de Edificações (Auxiliar de Mestre de Obras), Padeiro e Confeiteiro, Costureiro Industrial do Vestuário estão disponíveis no Centro de Formação Profissional (CFP) de Macapá. 

Na unidade de Santana estão sendo disponibilizadas vagas para os cursos de Assistente Administrativo, Construtor de Edificações (Auxiliar de Mestre de Obras), Soldador de Processo Industrial, Eletricista Industrial, além de Montador e Reparador de Computadores.

Para concorrer a uma das vagas, o interessado deve ter, no mínimo, 14 e 18 anos, dependendo do curso pretendido, e idade que lhe permita concluir o curso antes de completar 24 anos. Precisa, também, ter concluído o Ensino Fundamental, e estar cursando ou ter concluído o Ensino Médio. 

As inscrições estarão abertas no período de 23 a 24 de fevereiro de 2017, exclusivamente por meio do site www.ap.senai.br, na área de editais.

Prova
A prova será realizada em 08 de março de 2017, exclusivamente nos laboratórios das escolas do SENAI.

A avaliação será composta por 30 questões de múltipla escolha, em nível de conclusão do ensino fundamental, distribuídas em três categorias: 10 de Língua Portuguesa, 10 de Matemática e 10 de assuntos referentes ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A lista dos aprovados será divulgada às 14h do dia 14 de março, nas escolas do SENAI Amapá e pelo site www.ap.senai.br. Informações adicionais podem ser obtidas pelo fone 3084-8923.

Consulte o edital aqui.

Com risco de fechar as portas, Lar “Bethânia” realiza evento beneficente

Sem apoio, abrigo corre o risco de fechar as portas
O abrigo Lar Bethânia, que atende a meninas na faixa etária de 10 a 17 anos em situação de vulnerabilidade social, atravessa pela pior de suas fases instituição desde que implantada no Amapá em 2010, correndo agora um risco de fechar suas portas, de acordo com informações da administração do local. 

A entidade fica localizada numa área nobre do bairro Vila Amazonas, em Santana, auxiliando – atualmente – 15 adolescentes internas, todas vítimas de maus tratos familiares e até de abuso sexual. 

A situação do abrigo piorou com o fim de um convênio firmado com a antiga gestão da Prefeitura de Santana, que se encerrou em dezembro de 2016. A parceria garantia o repasse de um significado valor para compra de alimentos e materiais de limpeza e higiene, além do pagamento de salário de 12 funcionários, entre mães sociais, motoristas, vigilante, jardineiro e pedagoga. 

Uma das casas de auxílio do Abrigo já fechou
Em nota, a atual administração municipal informou que busca acelerar o processo para firmar um novo acordo, a fim de atender à demanda do Lar Bethânia. Segundo a prefeitura, o antigo convênio continha irregularidades o que dificulta a sua atualização. 

A freira Rosane Cordeiro, administradora do abrigo, relata os funcionários contratados pelo município estão com oito meses de salários atrasados e sem receber o 13º salário. 

Para ela, com a pouca ajuda que a entidade recebe, as adolescentes podem ser devolvidas para o Conselho Tutelar e Vara da Infância e Juventude. 

“Começamos a receber doações de alimentos, mas nossa dispensa ainda precisa de mais ajuda. Se não for firmado nenhum convênio de sustentabilidade para o abrigo e caso o problema dos funcionários não seja resolvido, o risco de fecharmos as portas é grande”, lamentou Rosane. 

No local moram meninas entre 10 a 17 anos
Para solucionar parte dos problemas, o abrigo realiza campanhas de arrecadação de alimentos e materiais de higiene e limpeza. 

Evento Beneficente
Uma venda de pizza está sendo organizada com intuito de levantar dinheiro para pagar as contas da casa. O abrigo também pede materiais para a produção da pizza. 

Cada ticket custa R$ 20, o que dá o direito a uma pizza. O evento está marcado para acontecer no próximo dia 05 de março (domingo), a partir de 18hs, no próprio Abrigo Lar Bethânia, localizado na Rua C-1, número 550, bairro Vila Amazonas, em Santana. 

Os interessados que desejam adquirir um ticket (ou ajudar com o material no preparo da pizza), basta entrar em contato pelos números da Irmã Rosane Cordeiro (99190-3880), Elizete (99198-5896) e Íris (99117-4376). 

Relação do material para as pizzas:

O abrigo mantém um Centro Profissionalizante
• Trigo - 40 KG
• Queijo - 6 barras grandes
• Apresuntado - 3 barras grandes
• Calabresa - 5 kg
• Molho para pizza - 4 pacotes de 2kg
• Fermento biológico - 500g
• Pastela - 1 kg
• Orégano - 500 g
• Azeitona - 1 pote grande
• Maionese - 2 caixas de sachê
• Ketchup - 2 caixas de sachê
• Luvas descartáveis
• Toucas descartáveis
• Copos descartáveis 250 ml
• Pratos de papel n. 8
• Dueto (ervilha/milho) - 2 potes grandes
• 01 caixa de ovo de codorna
• Verduras
• Tomates
• Pimentões
• Cebolas