quarta-feira, 24 de maio de 2017

Sem avisar, Ofirney Sadala comparece à Câmara de Vereadores e assiste discretamente a sessão

Sadala ficou na platéia, assistindo a sessão
Pode-se dizer que o episódio ocorrido na noite dessa terça-feira (23/05) na Câmara de Vereadores de Santana não foi apenas considerada uma situação inusitada, mas também histórica: sem qualquer comunicado antecipado de que iria comparecer àquela Casa de Leis, o prefeito da cidade Ofirney Sadala apareceu de modo inesperado para o edis que estavam realizando a sessão. 

Acompanhado do deputado estadual Jory Oeiras, o líder do Executivo Municipal chegou cerca de duas horas após início da sessão, e de forma bem discreta, preferiu se manter reservado da Tribuna, ficando como um dos inúmeros ouvintes presentes, apenas sentado na plateia. 

Sadala e Jory Oeiras
“Não faz mal aparecer de vez em quando na Câmara e saber o que eles (vereadores) estão tratando”, justificou o prefeito, sentado ao lado do amigo político Oeiras, quando questionado pelo blog.

Apesar de querer se manter limitado com a ocasião, Sadala acabou sendo convidado pela presidente da Câmara de Vereadores para compor a mesa principal da Tribuna. 

Assuntos
Diversos assuntos relacionados ao Executivo estavam sendo debatidos pelos edis quando houve a chegada “surpresa” do prefeito. 

Sessão que ocorria antes da chegada do prefeito
Um deles foi sobre o acidente envolvendo um veículo oficial da Prefeitura de Santana, ocorrido no último dia 09 de maio, onde seis pessoas que estavam no veículo sofreram um capotamento durante serviço municipal. 

O acidente vem sendo acompanhado pela Secretaria Municipal de Saúde que avalia a veracidade dos serviços que de fato ocorriam com o uso do veículo. 

Outro assunto comentado foi sobre as diárias usadas pelo Executivo no início do mês de março, quando o prefeito Ofirney (acompanhado de alguns vereadores) esteve em São Paulo (SP) tratando da questão da mineradora Zamin. 

Sadala foi convidado a compor a mesa da Tribuna
O vereador Marco Aurélio explicou que a necessidade da presença do Executivo e do Legislativo na questão da Zamin só trará benefícios para a cidade, tanto social quanto financeira. 

“Essa visita em São Paulo (SP) nos deu a garantia de que há solução positiva para o caso da Zamin aqui para o Amapá. Assim como também nos deu a certeza sobre R$ 10 milhões em ICMS que ela devia para nós”, explicou o vereador. 

Sadala reservou-se a falar publicamente na Tribuna até o final da sessão, mas conversou abertamente com todos os vereadores após o encerramento do ato, e adiantou: “Sempre que possível, farei outras visitas desse tipo aqui na Câmara”.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Operadora de Telefonia ativa modelo novo de antena sustentável no Amapá

Modelo será expandido no Amapá
A operadora de telefonia TIM instalou e ativou mais um biosite em Macapá, como parte do projeto de cobertura sustentável da empresa. Desta vez, o ponto estratégico escolhido foi o bairro Jardim Equatorial, na Zona Sul da capital amapaense. 

A empresa continua investindo na região, com o objetivo de ampliar a cobertura de voz e dados em áreas conhecidas como de sombra (pontos onde as antenas tradicionais têm dificuldade de alcançar) ou de grande de volume de tráfego. 

Trata-se de um poste metálico capaz de suportar todos os equipamentos necessários para a instalação de uma Estação Rádio Base (ERB) no interior de sua própria estrutura. As antenas são percebidas como um prolongamento do próprio poste. 

A utilização deste formato evita a necessidade de gabinetes externos ou de uma estrutura auxiliar, portanto, é uma solução que permite reduzir o impacto visual em relação às torres habituais e que também é capaz de ser utilizada como alternativa para iluminação pública e câmeras de vigilância, por exemplo. 

O uso do biosite reflete o foco da TIM em, cada vez mais, buscar alternativas inovadoras para a melhoria da qualidade dos seus serviços em prol da satisfação dos clientes. 

“A previsão da companhia é de ativar mais três biosites ainda este ano em Macapá, mas ainda não descreveu a localização desses pontos de instalação”, adiantou Roberta Câmara, da área de Relações com a Imprensa. 

Ainda segundo Roberta, o projeto de antenas sustentáveis poderá se expandir para outros municípios do Estado do Amapá.

Para continuidade das obras, primeiras famílias já deixaram casas inacabadas do Delta

A Prefeitura de Santana, através da Secretaria de Assistência Social (Semasc), iniciou na última sexta-feira (19/05), o processo de transferência do valor do aluguel social para as contas dos moradores das casas populares, localizadas no bairro Delta. 

A medida foi uma determinação do prefeito de Santana, Ofirney Sadala, para que sejam feitas a retirada das famílias e retomada das obras. 

Segunda a secretária adjunta Alderinda Ferreira, da Secretaria Municipal de Assistência Social, o processo para viabilizar o benefício foi elaborado a partir de um planejamento, com a Semasc tratando diretamente com a comunidade sobre os procedimentos necessários para a retirada das famílias das casas populares. 

No cronograma, constava o período para a coleta de dados relativos à identificação das famílias e das habitações, além de entrevistas para obtenção de informações sobre a situação socioeconômica de cada morador. 

Em linhas gerais, explicou Alderinda, foi identificado que todos necessitavam do benefício, prevalecendo a determinação dada pelo prefeito Ofirney em tratar a situação de maneira técnica, menos traumática, e, acima de tudo, por se tratar de seres humanos, que precisam de moradia. 

Por conta disso ficou acertado que todas as famílias que entregarem os documentos requisitados no período divulgado passem a receber o benefício. 

“O prefeito sinalizou que todos irão receber, considerando, é claro, os procedimentos técnicos que nós fizemos. Então as sessenta famílias que estão lá vão receber o aluguel social, a partir do momento em que me apresentarem os documentos”, relatou a secretária adjunta. 

As famílias receberão o benefício por seis meses, sendo que neste período a Secretaria Municipal de Assistência Social acompanhará cada uma para encaminhá-la, caso necessário, a outros programas sociais, como o Bolsa Família. 

A equipe está acompanhando também os beneficiários das casas, a fim de verificar se ainda necessitam do beneficio, tendo em vista que já se passaram quatro anos deste o sorteio.

Do folhetim frente-verso às redes sociais, as notícias de Santana agora já chegam em tempo real

Alguns jornais que já circularam em Santana
Em termos bem atualizados, os meios de comunicação procuraram se desenvolver de forma bastante significativa nas últimas décadas, gerando diversos caminhos viáveis para repassar a informação a curto prazo para aqueles que desejam tomar conhecimento e interar-se dos fatos notórios que ocorrem diariamente em nossa sociedade. 

Atualmente, os chamados “caminhos da notícia” são utilizados através dos jornais impressos, do rádio, da televisão, até mesmo pela internet que lidam com as redes sociais, onde milhares de pessoas estão conectados, procurando sempre manter em tempo real suas linhas de conhecimento. 

Se hoje encontramos diversas maneiras para se colocar informado com os acontecimentos, muitos se fez quando tudo ainda seguia em passos lentos. 

Os registros mais antigas que falam dos primórdios das comunicações em grande escala em nosso país data do início do século XIX (19) quando a Família Real Portuguesa desembarcou no Brasil em 1808 e implantou a “Impressão Régia” que depois se transformaria na “Imprensa Nacional”. 

1964: Redatores do jornal “Barranco” em Santana
No mesmo ano (1808) saiu às ruas o jornal “A Gazeta do Rio de Janeiro”, o 1º criado em território brasileiro, com isso dando ênfase para que outros jornais fossem criados ainda naquele século. 

No Amapá, os primeiros passos sobre as comunicações de grande expansão começaram a aparecer em 1895, com o lançamento do primeiro jornal em terras amapaenses, “O Pinzônia”, idealizado por um macapaense chamado Francisco de Mendonça Junior, onde registrava o cotidiano pacífico dos pouco mais de 1.500 moradores que residiam na pequena cidade de Macapá no final do século XIX. 

O “Pinzônia” circulou até 1899, mas deixou uma grande marca para as comunicações em nosso Estado, dando espaço para que no século seguinte novos veículos começassem a tomar frente para nossa sociedade. 

Esse impulso no setor comunicativo criou mais força a partir da metade de década de 1940, logo depois da criação do então Território Federal do Amapá com jornais que escreveriam nomes na história como o jornal “Mensagem do Amapá”, “A Voz Católica”, “O Amapá”, “Jornal do Povo” e outros que tiveram pequeno período de circulação, mas colaborando assiduamente para a nossa história. 

“Jornal do Porto” (1996-2002)
Assim como ocorria na capital amapaense, o nome de um informativo ficaria bastante conhecido entre os moradores santanense ainda na década de 1960. Era o jornal “Barranco”, fundado no dia 07 de julho de 1963. 

Se hoje em dia correr atrás dos detalhes de um acontecimento é uma tarefa árdua dentro de uma cidade com mais de 100 mil habitantes, imagine as dificuldades enfrentadas por esses pioneiros que usavam de suas andanças para percorrer as mais de dez vilas suburbanas existentes ainda naquela década, sem oferecer as mínimas condições sociais para seus jovens e amadores repórteres. 

Porém, os desafios foram sendo vagarosamente vencidos e os esforços foram sendo atendidos com auxílio daqueles mais favorecidos financeiramente. 

A Indústria e Comércio de Minérios Ltda (ICOMI) foi uma das grandes incentivadores dessa iniciativa pioneira, que acabou se envolvendo na mesma idéia de divulgar suas ações sociais no então Território Federal do Amapá e lançou sua própria revista no ano seguinte, “ICOMI Notícias”.

Até 1967 esses dois informativos privados ainda eram bastante conceituados entre os dois núcleos populacionais mais conhecidos de Santana: a Vila Dr.º Maia e a Vila Amazonas. 


TV Santana Canal-42: 1ª emissora da cidade
Na década de 1970, nosso povoado somente era focado pelos noticiários impressos com direito a um encarte nos poucos jornais semanais que circulavam entre a capital e nossa pequena vila portuária. 

Se havia dois ou três semanários, era fácil encontrar algum fato ocorrido em Santana numa dessas páginas, quase sempre assinadas por pessoas bastante conhecedoras de nossos problemas. 

Que nos diga o profissionalismo feito por Olavo Almeida, Gerônimo Acácio, Jorge Bittencourt, Haroldo Pinto e outros que enviavam com destreza e dinamismo os principais acontecimentos de nossa cidade que crescia lentamente na virada das décadas de 1970-1980. 

As poucas vezes que estivemos nas primeiras páginas dos jornais de grande circulação (entre essas duas décadas citadas), algumas foram de maneira positiva e outras negativas, como a cobertura feita pela imprensa nacional sobre o naufrágio do Barco “Novo Amapá” (1981) ou a visita do famoso oceanógrafo francês Jacques Coausteu (1982) que por aqui esteve conhecendo nossa fauna e flora para depois produzir um dos documentários mais assistidos em todo o planeta. 

Jonhwene Silva, apresentador na TV Canal-42
Com o período pós-município (já no início da década de 1990), a comunicação impressa acabou tendo um maior impulso com o surgimento de novos jornais santanenses. 

Chegaria às bancas o “Jornal de Santana”, depois o lendário “Jornal do Porto” (que mais tempo circulou em Santana, com mais de 200 edições publicadas em seis anos de existência), a “Vanguarda” e o “Diário de Santana”.

Todos esses folhetins serviram de escolas para grandes nomes que hoje conhecemos no ramo da comunicação santanense, por onde militaram Tina Sanches, Walber Trindade, Alice Sanches, Socorro Barros, Sanderley Lobato, Paulo Rogério, Serginho Guedes, Roberto Guedes, Jackson Martins, entre outros. 

Em 1998 aparecia um novo segmento nas comunicações locais: seriam os primeiros testes radiofônicos para implantação de um sistema FM na cidade que logo fixaria seus objetivos junto à nossa sociedade. 

Canal-46: 2ª emissora de TV em Santana
Apesar dos primórdios da radiofonia em Santana ter se registrado ainda na década de 1970, somente no final do século XX que a idéia conseguia ter mais força técnica e humana. 

Depois da virada do milênio, nossa cidade viveria novos horizontes no setor comunicativo a partir ano de 2005, com a implantação da primeira emissora de televisão local e o aparecimento de novos jornais independentes. 

Surgiriam os quinzenários “Cidade de Santana”, “Correio Popular”, o tablóide “Fatos do Porto”, o “Correio Santanense”, e os semanais “Santana Agora” e “A Gazeta de Santana”. Todos marcariam seus nomes na história recente do município por acompanhar no desenvolvimento social, político e econômico. 

Chegando em 2017 podemos notar que em mais de meio século muitos acontecimentos puderam ser registrados e divulgados abertamente pelos meios de comunicação que foram constantemente aparecendo na segunda maior cidade do Estado do Amapá. 

Em meio a registros históricos, já se passaram mais de 12 jornais somente na área interna de nossa cidade nesse período de 54 anos, somando com outras três revistas de circulação independente. 

Mas conseguimos alçar grandes topos por atualmente termos a cobertura de 03 emissoras de rádios, duas emissoras de televisão, mais de 20 blogueiros cadastrados no Google, e um número infinito de internautas conectados nas maiores redes sociais da Internet, em prol de auxiliar na informação em curto prazo sobre tudo que acontece simultaneamente em nossa cidade portuária.

Tudo isso (é claro!) graças ao pioneirismo realizado por sete jovens trabalhadores de uma mineradora que idealizaram o primeiro jornal de Santana, o “Barranco”.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Em vídeo, Polícia Militar prende suspeito de ter roubado bicicleta em supermercado de Santana

Um vídeo que circula desde cedo (22/05) nas redes sociais mostra um suspeita sendo detido por agentes da Polícia Militar (PM) do município de Santana.

Segundo o fato teria ocorrido na tarde desta segunda-feira (22/05) no estacionamento de um conhecido supermercado, localizado no Centro de Santana.

O suspeito, que aparece com uma camisa no ombro, teria tentado furtar uma bicicleta que estava no citado estabelecimento comercial.

Testemunhas relataram que o suspeito já vinha demonstrando de forma “indireta” que iria cometer algum delito nas proximidades.

Ele (o suspeito) já tinha passado duas vezes na frente da entrada principal do supermercado (que fica pela Rua Ubaldo Figueira)”, relatou um taxista, que não quis se identificar.

Percebendo a ação, a Polícia Militar foi acionada de imediato que ainda pegou o suspeito que já tentava se evadir das proximidades do ato.

O blog tentou contato com a gerência do supermercado, mas ninguém quis comentar o assunto.

Detalhes podem ser visto no vídeo abaixo:
video

Poder Judiciário do Amapá realiza 3ª etapa do curso em Justiça Restaurativa em Santana

Magistradas e servidores das comarcas de Macapá e Santana, servidores do Ministério do Público Estado, da Secretaria de Estado da Educação e funcionários do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá – IAPEN estiveram presentes durante uma semana, no auditório do SEBRAE de Santana, para a realização da 3ª e última etapa do Módulo de Curso de Capacitadores em Justiça Restaurativa para formação de multiplicadores dos métodos restaurativos e autocompositivos. 

Ministrado pelo Instituto THEM - Transformação Humana em Educação e Mediação, de São Paulo, o curso consiste em um direcionamento não punitivo, e que tem como principal objetivo a reparação dos danos causados às partes envolvidas em conflitos de diversas ordens. Ainda, quando possível, a reconstrução das relações rompidas. 

Capitaneado pela titular da Vara da Infância e Juventude de Santana, Larissa Noronha, o curso teve início no final de 2016 e, com a conclusão do 3º módulo, os novos mediadores de conflitos somam-se a uma equipe capacitada para multiplicar a promoção da prática da Justiça Restaurativa, pois a demanda vem crescendo bastante, com pedidos principalmente das áreas de educação e segurança pública. 

Com as práticas difundidas e bem aplicadas a toda sociedade, a magistrada espera ver todas as instituições fortalecidas em uma rede. 

“Além de aprimorar o diálogo entre as instituições que comprarem essa ideia, esse método vai dinamizar a atuação de cada elemento dessa rede, principalmente da Justiça, pois vai prevenir o aprofundamento e judicialização de conflitos”, ressaltou a juíza Larissa Noronha.

“Com os certificados em mãos, os servidores da Justiça formados irão estruturar um curso introdutório em Justiça Restaurativa, de 12 horas, para formar todos os servidores do Judiciário nesta prática, não tendo em vista apenas resolver conflitos, mas que também possam utilizar esses valores e princípios nos relacionamentos entre equipes e atendimentos ao público”, informou a servidora da Justiça e facilitadora de Práticas Restaurativas, Lucineide Santos. 

Os servidores formados também irão ingressar na “Escola Restaurativa”- projeto realizado paralelamente, com núcleos de mediação instalados nos colégios. 

“Somos um grupo de apenas 8 pessoas, e com essa nova turma de facilitadores formados nossa equipe irá aumentar e poderemos avançar na nossa meta anual de formação e atender o número de 24 escolas e seu corpo técnico, que ainda precisamos formar”, concluiu a servidora.

Já em casa, estudante se recupera de lesão provocada em assalto e campanha de tratamento continua

David já está em casa se recuperando
“Meu filho é um milagre”, assim descreveu a pastora Maia Pinheiro, mãe do estudante Carlos David, de 18 anos, que atravessou um dos momentos mais tristes e comoventes de sua vida, e que mobilizou toda a opinião pública na segunda maior cidade do Amapá. 

A ocasião desse reconhecimento aconteceu na noite deste domingo (21/05), em um culto de Ação de Graças, realizado na igreja evangélica onde Maia e seu esposo Dan são os pastores, que teve a presença de inúmeras pessoas convidadas, entre eles, amigos da família e colegas da escola onde Carlos David estuda. 

O jovem foi vítima de um assalto ocorrido no último dia 08 de maio, que lhe resultou num golpe de arma branca (esfaqueamento) na altura do pescoço. A lesão foi tão profunda que lhe levou a ficar mais de uma semana hospitalizado entre a vida e a morte. 

O assalto
No dia do assalto, David retornava da escola, localizada no Centro histórico de Santana, por volta das 16h, acompanhado da irmã. 

Vídeo mostra estudante sendo esfaqueado na rua
No cruzamento da Rua Machado de Assis com a Avenida 07 de setembro – faltando poucos metros para chegar à sua residência – os irmãos foram surpreendidos por um elemento montado numa bicicleta. 

“Ele (o assaltante) saltou da bicicleta e apontou uma faca pra mim, pegando minha mochila e depois pegou os pertences da minha irmã”, contou o estudante. 

Não se mostrando satisfeito com que já havia subtraído, o suspeito – depois identificado se tratar de um menor infrator – teria tentado avançar contra a irmã de David que, num ato de defesa pela irmã, acabou recebendo uma facada que atingiu várias linhas musculares e importantes vasos sanguíneos localizados no pescoço. 

“Minha filha chegou gritando em casa e me vi naquele desespero que não sei como explicar, mas procurando me controlar. Quando saí na rua para procura-lo, já tinham o levado para o pronto-socorro”, conta Maia. 

Dias de tensão
Do momento que chegou ao pronto-socorro de Santana, onde encontrou seu filho – o mais velho do casal, que tem ao lado de quase duas décadas de convivência com Claudiano Costa –, começaria ali uma incansável luta que levaria dias de tormenta e angústia para aquela família. 

“Ele recebeu um rápido atendimento e logo foi liberado, mas decidimos leva-lo para Macapá para continuar os cuidados que percebemos emcima do ferimento”, continuou Maia, que percebeu a gravidade que a lesão havia ficado no pescoço do filho. 

No pronto-socorro da capital, o estudante voltou a apresentar um quadro preocupante sobre o ferimento, continuando a perder sangue momentaneamente. 

“O médico disse na minha cara que as chances de vida que ele tinha eram mínimas e não sabia como ele ainda estava vivo, pois ele podia ficar em estado vegetativo”, detalhou Maia, emocionada, que ainda recebeu a notícia de que o médico não iria opera-lo. “Falou que não se arriscaria com qualquer cirurgia, e eu falei que Deus estava com ele quando fosse operar meu filho”. 

De acordo com o laudo médico, além da veia principal, três veias jugulares internas e a traqueia foram fatalmente lesionadas. “Houve um arranhão em um dos nervos, mas não foi tão grave, se não ele teria perdido o movimento do pescoço”. 


“Todos os médicos que acompanharam o caso dele diziam que meu filho não iria sobreviver, mas coloquei todas as decisões nas mãos divinas”, disse a genitora, que veio demonstrando desde o início do acontecimento sua fidelidade Divina. 

Apoio
Após a cirurgia, outra questão foi voltada para o procedimento de recuperação do estudante que era os medicamentos a serem utilizados. 

Por terem sido pegos de surpreso com o episódio, várias campanhas de arrecadação foram realizadas através das redes sociais, além das orações que foram sendo feitas em prol da melhora do estudante. 

“Recebíamos ajuda de vários lugares de Santana e do Amapá, todos vendo e orando a favor do meu filho”, ressaltou, que contabilizou mais de 15 pontos cirúrgicos no pescoço do estudante (somente na parte externa da pele). 

A recuperação 
Para os pais de David, o fato acontecido com o estudante foi uma mera situação gerada como “uma prova de Deus diante dos desafios da vida”, já que na época, Dan (pai do estudante) encontrava-se fazendo um tratamento médico. 

“Meu esposo estava se tratando de um problema renal quando fomos surpreendidos. Hoje entendemos que tudo segue uma linha projetada por Deus”, crê Maia. 

David com a família, em casa
Vendo os riscos de uma possível infecção hospitalar que poderia acontecer, a genitora achou mais viável continuar o tratamento do filho em casa, quando o mesmo retornou ao lar no último dia 16 de maio. 

Nova Campanha 
Passado todo o período preocupante do acompanhamento médico e da internação, o estudante foi trazido de volta para a sua morada, onde temporariamente vem recebendo visitas limitadas em razão de sua fase de recuperação. 

Neste domingo (21/05), o estudante esteve com a família no culto realizado na igreja onde os pais coordenam, na qual recebeu diversos abraços e votos de melhoras por amigos e “irmãos de fé”. 

Apesar de está passando por recuperação, outros exames estão na lista para serem feitos e um dos próximos objetivos é arrecadação de valores que possam garantir a sua realização. 

Por uma rifa está sendo oferecida nas redes sociais a favor do estudante, as pessoas que desejarem contribuir pessoalmente, basta ligarem para os contatos 99207-0799 / 991617783. Ou se acharem melhor, podem depositar na seguinte conta: 

Caixa Econômica Federal 
Agência: 3102 (023)
Conta: 00008133-9